Sábado, 06 de Junho de 2020 03:55
(31) 9 9374-6019
Esportes DEBATE BOLA

Lembranças..

Em tempos de quarentena, a saudade do futebol aumenta a cada dia

12/05/2020 21h11 Atualizada há 3 semanas
Por: Mendel Silva Fonte: TV Caeté
Lembranças..

Em tempos de quarentena, a saudade do futebol aumenta a cada dia, e as lembranças dos grandes jogos ficam guardadas na memória.

Meu primeiro contato com futebol ocorreu em 1986, na copa do México. Então com quase oito anos de idade, vi a seleção brasileira de Sócrates, Careca, Elzo, Josimar e cia fazer uma primeira fase brilhante, passar pela Polônia nas oitavas de final sem sustos e parar na França (sempre ela) de Platini nas quartas. Lembro como se fosse ontem a disputa de pênaltis narrados por Osmar Santos, o pai da matéria. Mas o que mais me chamou a atenção naquela copa foi um certo camisa 10. Hermano, baixinho, dono de uma canhota infernal. Diego Maradona só não fez chover naquele mundial. Ninguém ganha uma copa sozinho, mas Maradona carregou a Argentina nas costas.

Pelas minhas retinas, passaram a Copa de 90 na Itália, de baixíssimo nível técnico, o tetra de 94, que muita gente fala até hoje (injustamente) que o Brasil ganhou jogando feio, o inédito título francês de 98, e por aí vai, até chegar ao segundo título gaulês, em 2018, passando pelo 7x1 do Mineirão em 2014. Vi Laudrup, Van Basten, Maldini, Baresi, Matthaus, Zidane, Hagi, Stoichkov, uma infinidade de craques. Hoje temos dois craques extraterrestres, Messi e Cristiano Ronaldo, contra o resto do mundo.

Zebras? Algumas. A Dinamarca campeã europeia de 1992, num torneio em que só participou porque a UEFA baniu a Iugoslávia, por conta da guerra civil. Em 2004, os gregos derrubaram os lusitanos comandados por Luiz Felipe Scolari em plena Lisboa, e conquistaram o caneco, no que é na minha opinião a maior zebra da história do futebol.

Como não falar do Barcelona de Romário, Stoichkov, Laudrup e Koeman? Do Milan de Van Basten? Da Internazionale de Matthaus, do Napoli de Maradona e Careca. Num passado mais recente, outro Barça, o de Pep Guardiola. Teve também o Real Madrid e seus galácticos, o Arsenal campeão inglês invicto em 2004.

Gabriel C Santo on Twitter:

Falando de Brasil, minha primeira lembrança foi a semifinal do campeonato brasileiro de 1986, quando o Galo caiu para o Guarani de Campinas nas semifinais. Um ano depois, a famosa Copa União, onde Atlético e Cruzeiro tiveram pela primeira vez na história a chance de fazer uma final mineira. Ambos caíram nas semifinais. Na quarta-feira o Galo sucumbiu ao Flamengo e o Cruzeiro parou no Inter no dia seguinte. Em 2014 a justiça foi feita e os dois gigantes mineiros decidiram a Copa do Brasil. Melhor para o Galo, que virou jogos impossíveis e resgatou o mantra Eu Acredito, que abalou a América no ano anterior, quando o time de Ronaldinho e cia fez história.

Atlético que sempre batia na trave nos brasileiros de pontos corridos. Eliminações em várias semifinais, vice campeonato em 1999, até o rebaixamento em 2005 (única vez em que chorei por causa de futebol) - como todos sabem, sou atleticano.

Já a Raposa fazia campanhas discretas nos campeonatos brasileiros. Vez ou outra assustava, como no vice de 1998. Mas quando mudou o regulamento e o campeonato passou a ser disputado por pontos corridos, o time celeste se agigantou. Foram três títulos nacionais, entre eles o ano mágico de 2003, ano da tríplice coroa. Copas do Brasil, aí sim o Cruzeiro é soberano. Seis canecos estão na sede do Barro Preto. Ninguém no país ganhou mais que a Raposa. Sem falar nas Libertadores de 1997 e as duas Supercopas no início da década de 90. Pena que isso é passado e hoje o time amarga a Série B.

Final Taça Libertadores 1997 Cruzeiro 1 x 0 Sporting Cristal - YouTube

Polêmicas? Várias. Como não se recordar da bagunça da Copa União, onde Sport e Flamengo pleiteiam, justamente, a oficialização do título de Campeão Brasileiro de 1987? Teve também o Fluminense, que caiu dois anos seguidos, foi salvo pela virada de mesa, e pulou direto da Série C para a Copa João Havelange em 2000. Flu que voltaria a cair em 2013, mas de novo foi salvo pelos tribunais - deve ter um advogado muito bom viu! A máfia do apito em 2005, que tirou o título brasileiro do Inter e deu para o Corinthians.

Ufa, quanta lembrança boa! Esperamos todos que essa pandemia passe logo, e que possamos voltar à nossa rotina. Futebol nos estádios e na telinha e no bom e velho rádio, hoje substituído pelos celulares. Viva a tecnologia!

Dica de rock

Já que o assunto é nostalgia, hoje vai um rock das antigas. Rock the Casbah, da banda inglesa The Clash.

Oferecimento:

970-VELAS

MAGIA

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Debate Bola
Sobre o Debate Bola
Por Mendel Silva..
Caeté - MG
Atualizado às 03h47 - Fonte: Climatempo
15°
Poucas nuvens

Mín. 13° Máx. 26°

15° Sensação
14.8 km/h Vento
98% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (07/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 14° Máx. 27°

Sol com algumas nuvens
Segunda (08/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 15° Máx. 28°

Sol com algumas nuvens