FARMA 970
NUCEC 970
EU MEREÇO TOPO
LC MATRÍCULAS
CHUCHU TOPO
TUR 970
CCAA TOPO
KELLY 970
MD 970 2
RC TOPO
MD 970
AÇO UP 01
GALO 13
LÁPIS DE COR TOPO
ORAL TOPO
RC OFICINA 970 NOVO
OGRO 970
BIOLIFE 970
MAFU TOPO
OBJETIVA TOPO
MAGIA 970
BARRETO TOPO
IEPS M 01
BAMBOLÊ 970
CAMINHO 970
TOPOGRAFIA TOPO
RC OFICINA TOPO 2
MARISTELA 970
SAÚDE E BEM ESTAR

Precisamos tratar a dor direito e com respeito.

Enquanto alguns países exageram no uso de certos analgésicos, outros sofrem com a falta de tratamentos para a dor.

29/11/2019 17h32Atualizado há 6 horas
Por: Rafael Oliveira
Fonte: Revista Saúde

A dor é um dos sintomas mais frequentes e temidos. Nos pacientes com câncer, é uma das maiores causas de sofrimento, acometendo de 30 a 50% dos indivíduos em tratamento e mais de 70% daqueles nos estágios avançados da doença e no fim da vida. Se por um lado dispomos de diversos fármacos para controlar a dor, por outro nem sempre eles são devidamente usados. Os medicamentos opioides — grupo que engloba codeína, morfina etc. — são a base do tratamento de dores moderadas a intensas, agudas (como no pós-operatório) ou crônicas (sobretudo no câncer) devido à sua rápida ação e eficácia e à ausência de dose máxima.

No entanto, esses analgésicos despertaram alarme e desafios diante do seu uso abusivo em alguns países, em especial Estados Unidos, Canadá e Austrália. A “crise dos opioides”, caracterizada por um emprego prolongado e indiscriminado desses remédios, levou a altas taxas de dependência e mortalidade nessas nações. E teve um impacto profundamente negativo no manejo da dor em todo o mundo, uma vez que aumentou o medo de se prescreverem opioides.

Para a América Latina e a maioria da população mundial, porém, a disponibilidade e o acesso a esses medicamentos ainda são inadequados e sua baixa oferta e indicação no ambiente médico levam ao subtratamento da dor e a um sofrimento desnecessário. Dados da Organização das Nações Unidas apontam que a situação no Brasil e região é diferente da realidade americana, onde os opioides viraram uma ameaça em termos de abuso e mortes por substâncias ilícitas.

Hoje entendemos a dor como uma experiência angustiante associada não só a lesões físicas mas também a componentes sensoriais, emocionais, cognitivos e sociais. Como sintoma subjetivo, os médicos precisam confiar nos relatos do paciente. A reação à dor e a resposta ao tratamento variam de acordo com a capacidade de lidar com o sofrimento, o suporte da família e amigos, o surgimento de efeitos adversos, dentre outros.

Assim, ao indicarem os analgésicos, os profissionais de saúde devem avaliar todo um contexto capaz de influenciar a expressão da dor — o que inclui a presença de distúrbios físicos e psicológicos e o risco de uso abusivo de alguma substância.

É preciso um trabalho conjunto de educação e regulação para encorajar a utilização adequada e o monitoramento dos opioides. Mas tendo em mente que a crise na América Latina é oposta à dos EUA e outros países desenvolvidos. O desafio aqui é o subtratamento e o sofrimento diante da dor.

*André Junqueira é médico e presidente da Academia Nacional de Cuidados Paliativos. João Batista Garcia é médico e presidente da Federação Latino-Americana de Associações para o Estudo da Dor

Link da matéria: https://saude.abril.com.br/blog/com-a-palavra/precisamos-tratar-a-dor-direito-e-com-respeito/

Oferecimento:

INET ORAL-PLUS

 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Caeté - MG
Atualizado às 02h15
18°
Muitas nuvens Máxima: 24° - Mínima: 18°
18°

Sensação

12.7 km/h

Vento

98.3%

Umidade

Fonte: Climatempo
CHUCHU - GÁS
MD 600 02
RC GRANDE
AÇO 600
NUCEC 600
CHUCHU - ÁGUA
ORAL BAIXO
ORAL 300X600 NOVO
INET 300
BAMBOLÊ 600
FARMA 600
MAGIA 600
MARISTELA 600
IEPS M 02
IPB 600
CAMINHO 600
ANUNCIE AQUI
RC GRANDE 2
PUERI 600
MAFU 01
INETSAFE 01
SUPREMA 01
EU MEREÇO LATERAL
NUCEC 300 1
IEPS 01
PUERI 01
ORAL LATERAL 01
BAMBOLE 300 01
BARRETO 01
LC 250 01
KELLY 01
MD 300 001
CCAA LATERAL
AUTO 2000 01
THALES 01
CHUCHU 01
NUCEC 300 5
TOPO 250 01
MAGIA 300 01
AÇO 01
CAMINHO 01
OGRO 01
MARISTELA 01
IPB 300
OBJETIVA LATERAL
GELO CHUCHU
RC 01
MD 300
ARAÚJO 01
BIOLIFE LATERAL
FARMA 250
Municípios
OBJETIVA LATERAL 2
INETSAFE 02
IEPS 02
FARMA 250 2
NUCEC 300 2
CAMINHO 02
SUPREMA 02
CHUCHU 02
OGRO 02
AÇO 02
CCAA LATERAL 2
THALES 02
ARAÚJO 02
ORAL PLUS LATERAL 02
LC 250 02
BAMBOLE 300 02
BIOLIFE LATERAL 2
KELLY 02
MAFU 02
MAGIA 300 02
AUTO 2000 02
BARRETO 02
GELO CHUCHU 2
NUCEC 300 6
TOPO 250 02
MD 300 002
MD 300 02
IPB 300 2
EU MEREÇO LATERAL 2
RC 02
MARISTELA 02
PUERI 02
Últimas notícias
PUERI 03
TOPO 250 03
THALES 03
RC 03
AUTO 2000 03
NUCEC 300 7
BARRETO 03
MAGOA 300 03
FARMA 250 3
GELO CHUCHU 3
MD 300 003
CCAA LATERAL 3
AÇO 03
KELLY 03
CHUCHU 03
INETSAFE 03
LC 250 03
MARISTELA 03
CAMINHO 03
NUCEC 300 3
IEPS 03
BAMBOLE 300 03
ARAÚJO 03
BIOLIFE LATERAL 3
EU MEREÇO LATERAL 3
IPB 300 3
OGRO 03
SUPREMA 03
MD 300 03
MAFU 03
ORAL PLUS LATERAL 03
OBJETIVA LATERAL 3
Mais lidas
SUPREMA 04
IEPS 04
CHUCHU 04
MAFU 04
TOPO 250 04
PUERI 04
THALES 04
NUCEC 300 4
GELO CHUCHU 4
RC 04
OBJETIVA LATERAL 4
BAMBOLE 300 04
LC 250 04
NUCEC 300 8
BIOLIFE LATERAL 4
MD 300 04
MAGIA 300 04
CCAA LATERAL 4
KELLY 04
AUTO 2000 04
ARAÚJO 04
ORAL PLUS 04
IPB 300 4
FARMA 250 4
CAMINHO 04
AÇO 04
MARISTELA 04
INETSAFE 04
BARRETO 04
EU MEREÇO LATERAL 4
MD 300 004
OGRO 04
MD 300 05
LC 250 05